Glossário

Autor: Carla Lopes, Andreia Carreira, Ruben Gouveia. Ver página autores.
Última edição: Pathologika, 25 de Fevereiro de 2016
Citar esta página: Lopes, C., Carreira, A. & Gouveia, R., Glossário – Pathologika. Available at: https://pathologika.com/histoquimica/glossario/ [Acedido: data].

Acidofilia – O termo acidofilia é aplicado às substâncias tecidulares de natureza básica que coram facilmente com corantes ácidos. Os Granulócitos eosinófilos, ou eosinófilos, tem afinidade por corantes ácidos. Normalmente são transparentes, mas coram de vermelho-tijolo após coloração com a eosina.


Acidofílico (ou acidófilo) – Designação de uma substância, tecido ou organismo com afinidade para os ácidos. Em histologia, também designa uma solução corante com capacidade de corar elementos tecidulares básicos. Um corante ácido típico é a Eosina.


Anfotéricas – Uma espécie química que se comporta tanto como um ácido como uma base é chamada de anfotérica. Esta propriedade depende do meio em que a substância se encontra. O ácido súlfurico (H2SO4), por exemplo, é um ácido quando colocado em água, mas torna-se anfotérico quando colocado em superácidos.


Anião – Quando um átomo recebe electrões e fica com carga negativa, ou seja, fica com excesso de electrões relativamente ao nº de protões.


Basofilia – O termo basofilia é aplicado às substâncias tecidulares de natureza ácida que coram facilmente com corantes básicos. Exemplos de constituintes ácidos dos tecidos incluem os ácidos nucleicos, os polissacarídeos sulfatados, ácido siálico, ácido úrico, polissacarídeos e proteínas que contenham mais ácido carboxilo do que grupos amina na sua constituição.


Basofílico (ou basófilo) – Designação de uma substância, tecido ou organismo com afinidade para os ácidos. Em histologia, também designa uma solução corante básica com capacidade de corar elementos tecidulares ácidos. Apesar de os corantes com mordente corarem o mesmo tipo de elementos tecidulares que os corantes sem mordente, sobre certas circunstâncias também podem corar componentes aos quais falta o grupo carboxilo (ácido), nos quais se incluem os mucopolissacarídeos neutros. Daí que o termo basófilo não deva ser utilizado para categorizar a hematoxilina-alúmen.


Catião – Quando um átomo perde electrões e fica com carga positiva, ou seja, com excesso de protões relativamente ao nº de electrões.


Leucoderivados – Alguns corantes podem ser facilmente reduzidos. O processo de redução induz a quebra da estrutura dos anéis quinóides. Se o grupo cromóforo é destruido neste processo de redução, o corante perde a cor (leuco). Estes corantes-leuco tornam-se coloridos de novo através do processo de oxidação.


Mordente – substância que liga o corante à estrutura a corar. A adição de mordentes aos corantes confere-lhes propriedades básicas.


Reação de oxidação-redução – A oxidação e a redução são processos químicos complementares, que envolvem a perda de eletrões por um dos reagentes (oxidação) e o correspondente ganho de eletrões por outro reagente (redução). Devido às suas características, estes processos, também conhecidos por reações redox, ocorrem em simultâneo e o número de eletrões libertados na oxidação é idêntico ao número necessário na redução.

A espécie química que perde eletrões é oxidada e atua como agente redutor (dador de eletrões) e a espécie química que aceita eletrões é reduzida e atua como agente oxidante (aceitador de eletrões).

Alguns processos de oxidação comuns são a oxidação de metais (que inclui a formação da “ferrugem”, ou óxido de ferro) e as combustões. Entre os processos de redução comuns estão, por exemplo, os métodos de extração de metais a partir de minérios.

A eletronegatividade, que indica a capacidade de um elemento para captar eletrões, é proporcional ao potencial oxidante de um elemento. Os elementos mais eletronegativos têm um grande potencial oxidante, pois têm grande tendência para formar iões negativos. Da mesma forma, os elementos com eletronegatividades baixas têm um elevado potencial redutor, pois formam facilmente iões positivos. O flúor é o oxidante mais forte, sendo agentes oxidantes comuns o peróxido de hidrogénio (água oxigenada) e os ião hipoclorito. O lítio é o elemento redutor mais forte, sendo o hidrogénio um dos agentes redutores mais comuns.


Solução coloidal – é uma solução onde as partículas dispersas têm um tamanho médio compreendido entre 1 e 100 nanómetros (nm), denominadas partículas coloidais.